Para Ski Cross Country

 

Como é disputado

 

A modalidade envolve três grupos, para atletas com deficiência visual (visual impaired), atletas que competem em um sit-ski (sitting) e atletas que competem em pé (standing).  Além disso, cada grupo envolve diferentes classes, pontuados de acordo com a severidade da deficiência. Nas competições, os atletas de cada grupo competem entre si, havendo correção do tempo de acordo com a classe. Quanto maior o impedimento, maior a correção de tempo. 

A modalidade é dividida em três disciplinas principais, que envolvem provas de velocidade, média e longa distâncias. As distâncias das provas variam de acordo com gênero e classe. As provas de velocidade rondam 1km de distância e as outras variam entre 5km e 20km, dependendo da categoria (deficientes visuais, standing e sitting) e gênero. 

Quem pode praticar?

Deficientes visuais, amputados, paralisados cerebraislesados medulares e outras deficiências.

 

A modalidade no Brasil

 

O Para Cross Country é gerido nacionalmente pela Confederação Brasileira de Esportes na Neve. Os atletas da modalidade treinam no Brasil com um equipamento chamado rollerski, que simula a técnica do ski no asfalto. Mais informações em www.cbdn.org.br

 

O Para Cross Country Brasileiro nos Jogos Paralímpicos

 

O Brasil ainda não conquistou medalhas na modalidade.

Regras Oficiais (em inglês) - clique aqui
Descrição da Modalidade

Gasto Calórico

Impacto

Contato entre Competidores