Halterofilismo

Por: Marcela Lopes (Árbitra internacional de Halterofilismo categoria 2)

Como é disputado

A modalidade, praticada exclusivamente por atletas com deficiência, segue as regras do World Para Powerfliting, vinculado ao Comitê Paralímpico Internacional (IPC), e tem como objetivo testar a força dos membros superiores do atleta através da execução de um supino.

Os atletas do sexo masculino e feminino são divididos em dez categorias de acordo com o peso corporal e faixa etária (juniores e adultos). Diferentemente de outras modalidades, não há disputa por classes, mas somente por peso.

Cada atleta tem três tentativas regulares para realizar seu melhor movimento, podendo ser concedida uma quarta tentativa, em caso de quebra de recorde. O peso da barra poderá ser repetido em caso de falhas ou acrescido de, no mínimo, 1kg a cada tentativa, mas nunca será reduzido. Durante a competição, os atletas são organizados por ordem ascendente de peso a ser levantado no supino, do menor para o maior. A barra oficial de competição pesa 20kg e cada presilha de fixação das anilhas pesa 2,5kg.
 

Deitados no banco com as pernas totalmente estendidas, os atletas devem realizar um movimento de supino: com os braços totalmente estendidos o atleta deve descer a barra até o peito. A barra deve encostar suavemente no peito e não poderá afundar, quicar ou pousar. Em seguida, o atleta deverá levantar a barra de forma controlada até a extensão total e simultânea dos cotovelos. A barra é devolvida ao suporte ao final do movimento ou caso o atleta falhe na execução. Para segurança do atleta, durante a competição há três anilheiros para ajudar a guardar a barra em caso de falha no movimento.

 

Quem pode praticar?

 

Amputados, paralisados cerebrais, lesados medulares, entre outras deficiências físicas.

 

A classificação na modalidade

A Classificação Funcional do Halterofilismo difere um pouco de outras modalidades paralímpicas, pois ela se divide apenas em atletas elegíveis e inelegíveis. Para um atleta ser considerado elegível para o Halterofilismo ele deve cumprir alguns requisitos mínimos de deficiência e de segurança. Alguns exemplos de atletas aptos para competir nessa modalidade são atletas com lesões medulares (cadeirantes ou não), amputados, pessoas com diferentes comprimentos de pernas e atletas com baixa estatura. Sobre a segurança, por se tratar de um esporte em que há a possibilidade de peso significativamente na barra, alguns pré-requisitos de segurança são indispensáveis como por exemplo que tenha os dedos da mão, e que essa mão agarre toda a barra.

 

A divisão dos atletas no halterofilismo é feito pelo peso corporal dos atletas. Essa pesagem ocorre antes do início do período da competição. 

As categorias de peso são: Masculino as categorias iniciam em até 49 kg e vão até +107 kg (10 categorias). Já no Feminino inicia na categoria até 41 kg, e vai até 86 kg (10 categorias).
 

A modalidade no Brasil

 

O halterofilismo é gerido nacionalmente pelo Comitê Paralímpico Brasileiro, por meio da Coordenação de Halterofilismo. Mais informações em www.cpb.org.br.

 

O Halterofilismo Brasileiro nos Jogos Paralímpicos

 

0 ouro

1 prata

0 bronze

Regras Oficiais (em inglês) - clique aqui
Descrição da Modalidade

Gasto Calórico

Impacto

Contato entre Competidores