Atletismo

Por: Marcio Kleber Rufino Moreira (Coordenador de eventos de Atletismo do CPB) e Lucyana de Miranda Moreira (Classificadora de Atletismo)

Como é disputado

 

O atletismo paralímpico é praticado por atletas com deficiência física, visual ou intelectual. Ele é disputado em pistas oficiais de 400 metros, contendo 6 ou 8 raias, com piso adequado, sendo de borracha ou similar, seguindo as regras oficiais da modalidade (sugeridas pela CBAt, com suas adequações do World Parathletics). 

 

O Atletismo contempla provas de pista e campo, além de provas de rua, sendo elas:

 

Provas de Pista:

  • Velocidades : 100m, 200m, 400, rev. 4x400m e rev. 4x100m

  • Meio fundo: 800m, 1.500m

  • Fundo: 5.000, 10.000m

  • Salto em distância

  • Salto em altura

  • Salto Triplo 

 

Provas de Campo:

  • Lançamento de disco e club

  • Lançamento de dardo

  • Arremesso de peso
     

Provas de Rua 

  • Maratona – 42km

  • Meia Maratona – 21km
     

Em comparação com o atletismo olímpico, o atletismo paralímpico não possui as provas de salto com vara, arremesso de martelo, além das corridas com barreira e obstáculos.

 

Quem pode praticar?

 

Deficientes visuais, deficientes intelectuais, amputados, paralisados cerebrais, lesados medulares, entre outras deficiências físicas.

 

A classificação na modalidade

Os competidores são divididos em grupos de acordo com o grau de deficiência constatado pela classificação funcional. Os que disputam provas de pista (velocidade, meio fundo, fundo e saltos) e de rua (maratona), levam a letra T (Track) em sua classe:

T11 a T13 | Deficiências visuais
T20 |Deficiências intelectuais
T31 a T38 | Paralisados cerebrais (31 a 34 para cadeirantes: 35 a 38 para andantes)
T40 e T41 |Anões
T42 a T44 |Deficiência nos membros inferiores
T45 a T47 |Deficiência nos membros superiores
T51 a T54 |Competem em cadeiras de rodas
T61 a T64 |Amputados de membros inferiores com prótese

Já os atletas que fazem provas de campo (arremessos, lançamentos) são identificados com a letra F (Field) na classificação:

F11 a F13 | Deficiências visuais
F20 | Deficiências intelectuais
F31 a F38 | Paralisados cerebrais (31 a 34 para cadeirantes: 35 a 38 para andantes)
F40 e F41 | Baixa Estatura
F42 a F46 | Amputados ou deficiência nos membros superiores ou inferiores (F42 a F44 para membros inferiores e F45 a F46 para membros superiores)
F51 A F57 | Competem em cadeiras de rodas (sequelas de poliomielite, lesões medulares, amputações).
 

Sobre os atletas com deficiências visuais temos:
Atleta-guia e apoio
T11 | Corre ao lado do atleta-guia e usa o cordão de ligação. No salto em distância, é auxiliado por um apoio.
T12 | Atleta-guia e apoio, no salto, são opcionais.
T13 | Não pode usar atleta-guia e nem ser auxiliado por um apoio no salto.

A modalidade no Brasil

 

O atletismo é gerido nacionalmente pelo Comitê Paralímpico Brasileiro, que atua também como confederação desta modalidade. Mais informações em www.cpb.org.br.

Veja onde você pode praticar: acesse nossas entidades esportivas cadastradas!

 

O Atletismo Brasileiro nos Jogos Paralímpicos

 

40 ouros

64 pratas

41 bronzes

Regras Oficiais (em inglês) - clique aqui
Descrição da Modalidade

Gasto Calórico

Impacto

Contato entre Competidores